Notícias
Publicado em 26/04/16

No Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, confira dicas que te ajudarão a enfrentá-la

 

O dia de hoje (26 de abril) foi especialmente marcado para nos lembrar de que com saúde não se brinca. Independente da idade, do sexo, da raça. Dê atenção aos sinais que o seu corpo dá. E se ele não der, também esteja atento. Para a hipertensão arterial a delimitação dos grupos não importa. Homens e mulheres, crianças e idosos, brancos ou negros; todos eles estão vulneráveis.

A Hipertensão Arterial é um dos maiores problemas de saúde pública no Brasil, e muito comum entre a população. Facilmente, em seu ciclo social, você consegue identificar pelo menos duas pessoas com o problema. Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), ela acomete uma em cada quatro pessoas adultas, o que marca cerca de 25% das população adulta no Brasil. Levando  em consideração o fator idade, esse número dobra, em grupos acima de 60 anos e ainda está presente em aproximadamente 5% das crianças e adolescentes.

Segundo a nutricionista Roberta Morgana, “É uma “doença silenciosa” porque as pessoas que sofrem desta patologia podem passar anos sem apresentar sintomas. Porém sua prevenção e o tratamento diminuem a incidência e as sequelas da hipertensão”.

Responsável por quase a metade dos infartos, e 80% dos derrames, e a hipertensão é uma doença que precisa ser controlada e combatida. E para te ajudar nessa missão, preparamos uma lista simples de como prevenir e moderar a hipertensão, com o auxílio de dois coordenadores do IDE, Roberta Morgana – Nutrição e Raphael Ritti – Educação Física. Confira:

Dicas da nutricionista:

– Evite o consumo de preparações instantâneas e /ou congeladas
– Evite alimentos processados, industrializados, conservas e enlatados, como: salsicha, presunto, salame, linguiça, mortadela, paio, calabresa, mortadela, milho, patês
-Evite os alimentos defumados, como: carne seca, bacalhau, toucinho

– Evite frituras ou empanados de maneira geral;

-Evite alguns queijos como: parmesão, roquefort, cheddar, provolone

-Evite margarina e manteiga com sal

– Cuidado com os temperos e molhos prontos, caldos de carne, condimentos comerciais como: mostarda, catchup, molho de saladas e outros molhos (shoyo, inglês…)
– Reduza o consumo excessivo das gorduras saturadas e açúcar refinado e evite as gorduras trans ou hidrogenadas da sua alimentação

– Compre vegetais frescos e se congelados sem sal adicionado

– Leia os rótulos dos produtos, os alimentos que possuem gordura vegetal hidrogenada, contém gordura trans, mesmo que no rótulo venha escrito 0% de trans

-Prefira preparações assadas, grelhadas, cozidas ou ensopadas

– Consuma os alimentos naturais, sucos naturais sem açúcares, substitua por adoçantes naturais, como a stevia ou o xilitol

Dicas do educador físico:

– Reduza seu peso

– Realize pelo menos 150 minutos de atividades físicas por semana

– Tenha uma dieta saudável

– Evite bebidas alcoólicas, cigarros;

– Reduza o stress

– Monitore frequentemente a pressão arterial

– Use os medicamentos na hora correta
As condutas física e nutricional prescritas pelos profissionais habilitados são individualizadas e respeitam sempre os hábitos alimentares, estilos de vida e condições socioeconômicas dos pacientes. Por isso, para o sucesso do tratamento, procure um médico e faça o acompanhamento conforme for indicado.